O Estrutura do globo ocular do olho da esclera íris corpo vítreo lente retina conjuntiva
O

O olho

O olho, ou órgão da visão , consiste no globo ocular, no nervo óptico e nos órgãos auxiliares (pálpebras, glândula lacrimal, músculos do globo ocular).

O globo ocular é uma formação quase esférica com um diâmetro de aproximadamente 24 mm, localizado na órbita . Tem mobilidade ativa como resultado da atividade de seis músculos oculares - quatro retos (superior, inferior, interno e externo) e dois oblíquos (superior e inferior). O globo ocular é separado do resto da órbita por uma vagina fibrosa densa - uma cápsula de espiga, atrás da qual existe tecido adiposo.

A parede do globo ocular consiste em três membranas: a externa - uma membrana fibrosa muito densa, consistindo da córnea e da esclera; média, vascular e membrana reticular interna (retina). Dentro do globo ocular estão as lentes e o corpo vítreo. As câmaras do globo ocular estão cheias de humor aquoso.

estrutura do olho

Estrutura do olho:
1 - esclera;
2 - a coróide;
3 - concha reticulada;
4 - nervo óptico;
5 - artéria ciliar posterior longa;
6 - veia vortex;
7 - músculo reto inferior;
8 - iris;
9 - córnea;
10 - conjuntiva;
11 - a lente;
12 - corpo ciliar;
13 - músculo reto superior.)

O

A esclera, constituída por fibras colágenas densas, é opaca, pobre em vasos sanguíneos. A parte anterior da esclera é coberta por conjuntiva. Na borda da junção escleral com a córnea transparente, há um sulco raso com cerca de 1 mm de largura, o chamado membro. A córnea é uma formação avascular transparente, atuando oticamente como um forte vidro convexo. Tem uma sensibilidade muito alta devido a um grande número de terminações nervosas, localizadas principalmente em suas camadas superficiais.

A membrana vascular do olho, ou trato uveal, consiste da íris, do corpo ciliar ou ciliar e da própria membrana vascular coróide. A íris, ou íris, é a parte mais anterior da coróide. No centro da íris há uma abertura circular - a pupila através da qual os raios de luz penetram no globo ocular e alcançam a retina. Dependendo da intensidade do fluxo de luz, a pupila é capaz de mudar seu valor: na luz brilhante ela é mais estreita, no caso de uma luz fraca e escura. O tamanho da pupila muda como resultado da interação das fibras musculares lisas - o esfíncter e o dilatador, contidos na íris e inervados pelos nervos parassimpáticos e simpáticos. Em um número de doenças há uma expansão da pupa-midríase ou constrição-miose (veja reflexos pupilares ). A íris contém uma quantidade diferente de pigmento, da qual depende sua cor (cor dos olhos). Atrás da íris existe um corpo ciliar, que inclui um músculo ciliar ou acomodativo (veja Acomodação do olho ). Na superfície interna do corpo ciliar (ciliar), no terço anterior, localizam-se processos ciliares. Eles estão ligados às fibras da banda ciliar ( ligamentos cinamesos), sobre os quais a lente é suspensa. O corpo ciliar produz um fluido intra-ocular. Atrás do corpo ciliado passa para a coróide real (coróide), que consiste principalmente de vasos de diferentes calibres. Numerosas células ricas em pigmento da coroide impedem a penetração da luz através da esclera, eliminando a dispersão da luz.

A camada mais interna do globo ocular - a retina consiste de elementos nervosos altamente diferenciados. Microscopicamente, distingue 10 camadas. A camada mais externa é sensível à luz, está voltada para a membrana vascular e consiste de células neuroepiteliais - bastonetes e cones que percebem a luz e as cores. As camadas seguintes são formadas por células nervosas e nervosas estimulantes. As fibras nervosas formam o nervo óptico. A área da visão mais alta da retina é a chamada mancha amarela com uma fossa central contendo apenas os cones.

Refletindo fortemente raios de luz, a lente elástica transparente tem a forma de uma lente biconvexa. Vasos e nervos não têm cristalino. Ausência da lente no olho [após a remoção da catarata (ver) ou reabsorção da lente lesada] é chamada afacia.

O corpo vítreo que enche a maior parte da cavidade do globo ocular é uma massa gelatinosa transparente que consiste de fibrilas finas e macias e contém até 99% de água. O corpo vítreo também refrata os raios de luz.

Na cavidade do globo ocular, um pequeno espaço delimitado pela superfície posterior da córnea, a superfície anterior da íris e a parte central da superfície anterior do cristalino é chamada de câmara anterior do olho; é feito de umidade transparente e aquosa. A periferia da câmara anterior do olho, o chamado ângulo da câmara anterior, é importante na circulação do fluido intra-ocular. O espaço delimitado pela superfície posterior da íris, a parte periférica da lente e a superfície interna do corpo ciliar, é chamado de câmara posterior; também é feito de umidade aquosa, que é a fonte de nutrição dos tecidos avasculares do olho - a membrana córnea, a lente e o vítreo.

Para o aparelho auxiliar do olho, além dos músculos, estão as pálpebras (veja) e os órgãos lacrimais (veja).

Conjuntiva - a membrana mucosa do olho na forma de uma fina película transparente cobre a superfície posterior das pálpebras e a parte anterior do globo ocular no topo da esclera até a córnea. Quando as pálpebras estão abertas, a conjuntiva forma, por assim dizer, um saco com uma abertura larga - a abertura do olho. No canto interno do olho há uma lágrima. A conjuntiva não interfere na mobilidade do globo ocular, é transparente e suave; Na cartilagem das pálpebras, as glândulas Meibomianas são visíveis através dela. Possuindo um rico aparelho vascular-nervoso, a conjuntiva reage a qualquer irritação (reflexo conjuntival).

epitélio conjuntival
Fig. 1. Epitélio plano de multicamadas da conjuntiva do globo ocular próximo ao limbo.
Fig. 2. Epitélio cilíndrico de camadas múltiplas da conjuntiva da dobra transicional com células caliciformes.
Fig. 3. cartilagem Conjuntiva.